A gestão dos processos minerários em um só lugar.

O manganês é utilizado de maneira indireta pela indústria, sendo essencial na fabricação de ligas metálicas. O Brasil possui um papel importante na produção desse metal, estando entre os maiores produtores mundiais e detentores de reservas há mais de 100 anos. Estados como Minas Gerais, Pará e Mato Grosso do Sul se destacam na extração desse minério.


O manganês é considerado o décimo segundo elemento mais abundante da Terra e o quarto metal mais utilizado no mundo, depois do ferro, cobre e alumínio.

O manganês é utilizado de maneira indireta pela indústria e essencial na fabricação de ligas metálicas, principalmente quando combinado com o ferro, na produção de aço. Pode ainda ser utilizado em ligas de cobre, zinco, alumínio, estanho e chumbo.

No Brasil é encontrado na forma de óxidos, mas também existem depósitos de rodocrosita, espessarita, tefroíta e rodonita em Conselheiro Lafaiete (MG), Urandi (BA) e Pirosulita proveniente da Serra do Navio (AP).

Hoje existem mais de 5.000 processos minerários ativos para Manganês no Brasil, sendo que 1.400 estão com alvará de pesquisa ativo e 211 tem um título autorizativo de lavra.

Depósitos minerais de Manganês - origem e formação

Os depósitos de Manganês formaram-se há milhares de anos em ambientes marinhos. Ele ocorre na natureza como óxidos, hidróxidos, silicatos e carbonatos que constituem mais de uma centena de minerais conhecidos com esse elemento em sua composição. Entretanto, apenas alguns desses minerais são considerados minerais-minério.

Os depósitos de Manganês considerados pouco significativos datam do Neoarqueano, e os maiores depósitos do mundo datam do Paleoproterozoico

De acordo com a sua origem podem ser classificados em hidrotermal, sedimentar e supergênico.

Os grandes depósitos, como Kalahari Manganese Field, na África do Sul, de idade paleoproterozoica, e o Groote Eylandt na Austrália, de idade cretácea, são exemplos de depósitos sedimentares.

O depósito de Moanda no Gabão, os depósitos de Azul e Serra do Navio no Brasil e numerosos depósitos na Índia são exemplos significativos de depósitos supergênicos.

As maiores jazidas de Manganês estão localizadas na África do Sul, Brasil, Ucrânia, Austrália, Índia, China e Gabão.

Figura 1 - Principais depósitos de manganês distribuídos no mundo. Fonte: http://recursomineralmg.codemge.com.br/substancias-minerais/manganes/

Depósitos de Manganês no Brasil

De acordo com o Sumário Mineral Brasileiro, as maiores reservas do Brasil encontram-se em:

  • Minas Gerais, com 181,2 Mt;
  • Pará com 69,3 Mt;
  • Amapá com 9,7 Mt;
  • Mato Grosso do Sul com 7,5 Mt.

Juntos, esses estados correspondem a 98,2% das reservas nacionais.

O Morro da Mina (MG), situado na província mineral do Quadrilátero Ferrífero, é considerado o depósito com maior reserva.

Figura 2 – Morro da Mina (MG), situado na província mineral do Quadrilátero Ferrífero. Fonte: Jazida.com

Os principais depósitos de Manganês no Brasil são:

  1. Mina do Igarapé Azul, localizada na Província Mineral de Carajás – PA (VALE);
  2. Serra do Navio – Amapá (ICOMI);
  3. Depósito de Urucum - Mato Grosso do Sul (VALE);

O teor do minério de manganês atualmente explorado no país se enquadra nas categorias “alto” e “médio”, sendo de 31,86%. As minas do Azul e de Urucum destacam-se por terem minério de alto teor – pelo menos 40%.

A lavra de manganês ocorre em cavas a céu aberto na maioria das minas brasileiras (18 minas), sendo apenas uma por meio de lavra subterrânea, a Mina de Urucum (MS).

Aspectos Econômicos do minério de Manganês

De acordo com o Anuário Mineral, as empresas que se destacaram em 2019 na produção de manganês foram:

  1. Buritirama Manganês S.A - Pará (67,78%);
  2. Vale S.A - Pará (14,60%);
  3. Mineração Corumbaense Reunida S.A – MS (8,09%);
  4. RMB Manganês Ltda - PA (1,98%);
  5. Zeus Mineração Ltda – CE (1,35%).

Quatro outras empresas completam o quadro de produção: Brasil Manganês Corporation Mineração S.A. (Rondônia); Recursos Minerais do Brasil (Pará); Manganês Congonhal Ltda. (Minas Gerais); Ferlig Ferro Liga Ltda (Minas Gerais).

Em 2019 o manganês foi responsável por arrecadar cerca de 43 milhões em CFEM, ocupando o 5º lugar no ranking do Brasil.

O metal também tem movimentado os editais de Disponibilidade da ANM. Nas duas últimas rodadas, 127 áreas para Manganês (substância principal) foram arrematadas em leilão.

O maior lance foi realizado para uma área localizada em Minas Gerais, nos municípios Queluzito e Casa Grande.

Somando os dois editais, a arrecadação foi cerca de 17 milhões.

Figura 3 – Processo Minerário arrematado em leilão localizado em Minas Gerais. Fonte: Jazida.com

Exportação e importação de Manganês

Os dados mais recentes do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) indicam que as exportações em 2017 representaram uma elevação significativa na demanda por minério de manganês, em relação aos anos anteriores.

O comércio movimentou um total superior a US$ 365 milhões, correspondente a 2,683 milhões de t de minério de manganês e seus concentrados, o que representou um incremento de 81% em relação a 2016.

A maior parte das exportações de Mangês foi destinada à:

  • China (67%);
  • Argentina (12%);
  • Uruguai (12%);
  • Ucrânia (3%).

As exportações para outros países incluem Noruega, Coréia do Sul, Índia e México.

Os principais países importadores do manganês brasileiro são a China, com 281,1 mil toneladas, Argentina e Uruguai, com 134,1 mil toneladas.

A demanda dos três países corresponde a 91% de toda a exportação da commodity pelo Brasil. Outros países que compraram o minério de manganês foram Noruega, Panamá, Índia e Itália, além de mais quatro países (Aliceweb - dados de 2018).

Figura 4 - Exportação por país de destino de minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos e seus concentrados (Fonte dos dados: MDIC 2018).

Na escala dos países importadores de minério de manganês, o Brasil encontra-se no décimo lugar.

Figura 5 - Países importadores de metais de manganês (IMnI 2018).

O Brasil tem um papel de destaque na exploração e no emprego do minério de manganês de forma global. O país se mantém entre os maiores produtores mundiais e detentores de reservas há mais de 100 anos.

Para saber mais sobre áreas relacionadas ao Manganês no Brasil, faça o cadastro gratuito em nossa plataforma e navegue em nosso mapa interativo.

JAZI-1

Referências Bibliográficas

AFONSO. J. C,. 2019. MANGANÊS NO BRASIL: DESCOBERTA, EXTRAÇÃO, CONSUMO E COMERCIALIZAÇÃO NUMA PERSPECTIVA HISTÓRICA. http://static.sites.sbq.org.br/quimicanova.sbq.org.br/pdf/AR20190238.pdf. Acesso em 26 de junho de 2021.

ANM - ANUARIO MINERAL BRASILEIRO. 2020. PRINCIPAIS SUBSTÂNCIAS METALICAS. AGENCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO.

FRAKES L. & BOLTON B. 1992. Effects of ocean chemistry, sea level, and climate on the formation of primary sedimentary manganese ore deposits. A Special Issue Devoted to Advances in Manganes Metallogenesis. Economic Geology, Bulletin of the society of economic geologists. 87(5):1207-1217. doi: 10.2113/gsecongeo.87.5.1207.

GEOSCAN 2019. https://www.geoscan.com.br/blog/minerio-de-manganes. Acesso em 25 de junho de 2021.

LIMA T.M. & NEVES C.A.R. (coords.). 2016. Sumário Mineral 2015. Brasília, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), v. 35, 135 p. ISSN: 01012053.

IMnI – International Manganese Institute. 2018. IMnI Annual Review 2017. 36 p. Disponível em http://www.manganese.org/news-and-publications/annual-reviews/. Acesso em 2/2/2018.

MANCINI F., ALVIOLA R., MARSHALL B., SATOH H., PAPUNEN H. 2000. The manganese silicate rocks of the early Proterozoic Vittinki Group, southwestern Finland: metamorphic grade and genetic interpretations. The Canadian Mineralogist. 38(5):1103-1124. doi: 10.2113/gscanmin.38.5.1103.

Recursos Minerais de Minas Gerais. RMMG.  http://recursomineralmg.codemge.com.br/substancias-minerais/manganes/. Acesso em 26 de junho de 2021.

ROY S. 1968. Mineralogy of the different genetic types of manganese deposits. Economic Geology, 63(7):760-786. doi: 10.2113/gsecongeo.63.7.760

ROY S. 1988. Manganese metallogenesis: A review. Ore Geology Reviews, 4(1-2):155-170. doi: 10.1016/0169-1368(88)90011-X

ROY S. 1997. Genetic diversity of manganese deposition in the terrestrial geological record. In: Nicholson K., Hein J.R., Bühn B., Dasgupta S. (eds.). Manganese Mineralization: Geochemistry and Mineralogy of Terrestrial and Marine Deposit, Geological Society Special Publication, 119:5-27. ISSN: 20414927, doi: 10.1144/GSL.SP.1997.119.01.02

Roy S. 2006. Sedimentay manganese metallogenesis in response to the evolution of the Earth system. Earth-Science reviews, 77(4):273-305. doi: 10.1016/j.earscirev.2006.03.004.

SANTANAS, A. L,.- DNPM.https://www.gov.br/anm/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/outras-publicacoes-1/3-2-manganes#:~:text=O%20manga%2D%20n%C3%AAs%20tem%20desempenhado,cerca%20de%2090%25%20de%20todo. Acesso em 24 de junho de 2021.

You’ve successfully subscribed to Jazida
Welcome back! You’ve successfully signed in.
Great! You’ve successfully signed up.
Your link has expired
Success! Check your email for magic link to sign-in.