Manganês – depósitos minerais e aspectos econômicos no Brasil

O manganês é utilizado de maneira indireta pela indústria, sendo essencial na fabricação de ligas metálicas. O Brasil possui um papel importante na produção desse metal, estando entre os maiores produtores mundiais e detentores de reservas há mais de 100 anos. Estados como Minas Gerais, Pará e Mato Grosso do Sul se destacam na extração desse minério.


O manganês é considerado o décimo segundo elemento mais abundante da Terra e o quarto metal mais utilizado no mundo, depois do ferro, cobre e alumínio.

O manganês é utilizado de maneira indireta pela indústria e essencial na fabricação de ligas metálicas, principalmente quando combinado com o ferro, na produção de aço. Pode ainda ser utilizado em ligas de cobre, zinco, alumínio, estanho e chumbo.

No Brasil é encontrado na forma de óxidos, mas também existem depósitos de rodocrosita, espessarita, tefroíta e rodonita em Conselheiro Lafaiete (MG), Urandi (BA) e Pirosulita proveniente da Serra do Navio (AP).

Hoje existem mais de 5.000 processos minerários ativos para Manganês no Brasil, sendo que 1.400 estão com alvará de pesquisa ativo e 211 tem um título autorizativo de lavra.

Depósitos minerais de Manganês - origem e formação

Os depósitos de Manganês formaram-se há milhares de anos em ambientes marinhos. Ele ocorre na natureza como óxidos, hidróxidos, silicatos e carbonatos que constituem mais de uma centena de minerais conhecidos com esse elemento em sua composição. Entretanto, apenas alguns desses minerais são considerados minerais-minério.

Os depósitos de Manganês considerados pouco significativos datam do Neoarqueano, e os maiores depósitos do mundo datam do Paleoproterozoico

De acordo com a sua origem podem ser classificados em hidrotermal, sedimentar e supergênico.

Os grandes depósitos, como Kalahari Manganese Field, na África do Sul, de idade paleoproterozoica, e o Groote Eylandt na Austrália, de idade cretácea, são exemplos de depósitos sedimentares.

O depósito de Moanda no Gabão, os depósitos de Azul e Serra do Navio no Brasil e numerosos depósitos na Índia são exemplos significativos de depósitos supergênicos.

As maiores jazidas de Manganês estão localizadas na África do Sul, Brasil, Ucrânia, Austrália, Índia, China e Gabão.

Figura 1 - Principais depósitos de manganês distribuídos no mundo. Fonte: http://recursomineralmg.codemge.com.br/substancias-minerais/manganes/

Depósitos de Manganês no Brasil

De acordo com o Sumário Mineral Brasileiro, as maiores reservas do Brasil encontram-se em:

  • Minas Gerais, com 181,2 Mt;
  • Pará com 69,3 Mt;
  • Amapá com 9,7 Mt;
  • Mato Grosso do Sul com 7,5 Mt.

Juntos, esses estados correspondem a 98,2% das reservas nacionais.

O Morro da Mina (MG), situado na província mineral do Quadrilátero Ferrífero, é considerado o depósito com maior reserva.

Figura 2 – Morro da Mina (MG), situado na província mineral do Quadrilátero Ferrífero. Fonte: Jazida.com

Os principais depósitos de Manganês no Brasil são:

  1. Mina do Igarapé Azul, localizada na Província Mineral de Carajás – PA (VALE);
  2. Serra do Navio – Amapá (ICOMI);
  3. Depósito de Urucum - Mato Grosso do Sul (VALE);

O teor do minério de manganês atualmente explorado no país se enquadra nas categorias “alto” e “médio”, sendo de 31,86%. As minas do Azul e de Urucum destacam-se por terem minério de alto teor – pelo menos 40%.

A lavra de manganês ocorre em cavas a céu aberto na maioria das minas brasileiras (18 minas), sendo apenas uma por meio de lavra subterrânea, a Mina de Urucum (MS).

Aspectos Econômicos do minério de Manganês

De acordo com o Anuário Mineral, as empresas que se destacaram em 2019 na produção de manganês foram:

  1. Buritirama Manganês S.A - Pará (67,78%);
  2. Vale S.A - Pará (14,60%);
  3. Mineração Corumbaense Reunida S.A – MS (8,09%);
  4. RMB Manganês Ltda - PA (1,98%);
  5. Zeus Mineração Ltda – CE (1,35%).

Quatro outras empresas completam o quadro de produção: Brasil Manganês Corporation Mineração S.A. (Rondônia); Recursos Minerais do Brasil (Pará); Manganês Congonhal Ltda. (Minas Gerais); Ferlig Ferro Liga Ltda (Minas Gerais).

Em 2019 o manganês foi responsável por arrecadar cerca de 43 milhões em CFEM, ocupando o 5º lugar no ranking do Brasil.

O metal também tem movimentado os editais de Disponibilidade da ANM. Nas duas últimas rodadas, 127 áreas para Manganês (substância principal) foram arrematadas em leilão.

O maior lance foi realizado para uma área localizada em Minas Gerais, nos municípios Queluzito e Casa Grande.

Somando os dois editais, a arrecadação foi cerca de 17 milhões.

Figura 3 – Processo Minerário arrematado em leilão localizado em Minas Gerais. Fonte: Jazida.com

Exportação e importação de Manganês

Os dados mais recentes do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) indicam que as exportações em 2017 representaram uma elevação significativa na demanda por minério de manganês, em relação aos anos anteriores.

O comércio movimentou um total superior a US$ 365 milhões, correspondente a 2,683 milhões de t de minério de manganês e seus concentrados, o que representou um incremento de 81% em relação a 2016.

A maior parte das exportações de Mangês foi destinada à:

  • China (67%);
  • Argentina (12%);
  • Uruguai (12%);
  • Ucrânia (3%).

As exportações para outros países incluem Noruega, Coréia do Sul, Índia e México.

Os principais países importadores do manganês brasileiro são a China, com 281,1 mil toneladas, Argentina e Uruguai, com 134,1 mil toneladas.

A demanda dos três países corresponde a 91% de toda a exportação da commodity pelo Brasil. Outros países que compraram o minério de manganês foram Noruega, Panamá, Índia e Itália, além de mais quatro países (Aliceweb - dados de 2018).

Figura 4 - Exportação por país de destino de minérios de manganês e seus concentrados, incluídos os minérios de manganês ferruginosos e seus concentrados (Fonte dos dados: MDIC 2018).

Na escala dos países importadores de minério de manganês, o Brasil encontra-se no décimo lugar.

Figura 5 - Países importadores de metais de manganês (IMnI 2018).

O Brasil tem um papel de destaque na exploração e no emprego do minério de manganês de forma global. O país se mantém entre os maiores produtores mundiais e detentores de reservas há mais de 100 anos.

Para saber mais sobre áreas relacionadas ao Manganês no Brasil, faça o cadastro gratuito em nossa plataforma e navegue em nosso mapa interativo.

JAZI-1

Referências Bibliográficas

AFONSO. J. C,. 2019. MANGANÊS NO BRASIL: DESCOBERTA, EXTRAÇÃO, CONSUMO E COMERCIALIZAÇÃO NUMA PERSPECTIVA HISTÓRICA. http://static.sites.sbq.org.br/quimicanova.sbq.org.br/pdf/AR20190238.pdf. Acesso em 26 de junho de 2021.

ANM - ANUARIO MINERAL BRASILEIRO. 2020. PRINCIPAIS SUBSTÂNCIAS METALICAS. AGENCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO.

FRAKES L. & BOLTON B. 1992. Effects of ocean chemistry, sea level, and climate on the formation of primary sedimentary manganese ore deposits. A Special Issue Devoted to Advances in Manganes Metallogenesis. Economic Geology, Bulletin of the society of economic geologists. 87(5):1207-1217. doi: 10.2113/gsecongeo.87.5.1207.

GEOSCAN 2019. https://www.geoscan.com.br/blog/minerio-de-manganes. Acesso em 25 de junho de 2021.

LIMA T.M. & NEVES C.A.R. (coords.). 2016. Sumário Mineral 2015. Brasília, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), v. 35, 135 p. ISSN: 01012053.

IMnI – International Manganese Institute. 2018. IMnI Annual Review 2017. 36 p. Disponível em http://www.manganese.org/news-and-publications/annual-reviews/. Acesso em 2/2/2018.

MANCINI F., ALVIOLA R., MARSHALL B., SATOH H., PAPUNEN H. 2000. The manganese silicate rocks of the early Proterozoic Vittinki Group, southwestern Finland: metamorphic grade and genetic interpretations. The Canadian Mineralogist. 38(5):1103-1124. doi: 10.2113/gscanmin.38.5.1103.

Recursos Minerais de Minas Gerais. RMMG.  http://recursomineralmg.codemge.com.br/substancias-minerais/manganes/. Acesso em 26 de junho de 2021.

ROY S. 1968. Mineralogy of the different genetic types of manganese deposits. Economic Geology, 63(7):760-786. doi: 10.2113/gsecongeo.63.7.760

ROY S. 1988. Manganese metallogenesis: A review. Ore Geology Reviews, 4(1-2):155-170. doi: 10.1016/0169-1368(88)90011-X

ROY S. 1997. Genetic diversity of manganese deposition in the terrestrial geological record. In: Nicholson K., Hein J.R., Bühn B., Dasgupta S. (eds.). Manganese Mineralization: Geochemistry and Mineralogy of Terrestrial and Marine Deposit, Geological Society Special Publication, 119:5-27. ISSN: 20414927, doi: 10.1144/GSL.SP.1997.119.01.02

Roy S. 2006. Sedimentay manganese metallogenesis in response to the evolution of the Earth system. Earth-Science reviews, 77(4):273-305. doi: 10.1016/j.earscirev.2006.03.004.

SANTANAS, A. L,.- DNPM.https://www.gov.br/anm/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/serie-estatisticas-e-economia-mineral/outras-publicacoes-1/3-2-manganes#:~:text=O%20manga%2D%20n%C3%AAs%20tem%20desempenhado,cerca%20de%2090%25%20de%20todo. Acesso em 24 de junho de 2021.